quarta-feira, outubro 28, 2020

Huawei quer se tornar autossuficiente em até cinco anos

COMEÇA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Intenção da fabricante Huawei é ser autossuficiente em até cinco anos, assim podendo contar apenas consigo mesma para criar seus produtos da maneira que quiser.

Os últimos meses não foram os melhores para a Huawei, a fabricante está proibida de negociar com empresas dos EUA, então seus negócios estão correndo muito perigo.

O que mais chama a atenção no problema de comércio com os EUA é que o Google pode retirar a loja do Android e outros serviços dos novos telefones da Huawei e a ARM também não poderá negociar mais com a empresa.

Atualmente a Huawei tinha sido retirada da lista de empresas proibidas de negociar nos EUA, mas ainda está sofrendo algumas sanções.

Google Play e Huawei logo

Para que esse tipo de problema não aconteça novamente, a Huawei tem planos de ser tonar autossuficiente em até cinco anos.

Huawei autossuficiente em até cinco anos é o plano revelado pelo Ren Zehengfei, Fundador e CEO da empresa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Graça ao site Bloomberg, que conseguiu ter acesso a uma carta enviada pelo CEO da Huawei, agora sabemos que a fabricante está fazendo de tudo para se tornar depende apenas de si mesma em todos os setores.

O CEO da empresa era do exército chinês, ele então em suas falas e cartas utiliza muitos termos que são conhecidos apenas por quem conhece o setor militar.

Huawei Logo

Ren Zehengfei fala o seguinte:

“A divisão de consumo da Huawei está enfrentando uma longa e dolorosa marcha, que duas balas foram disparadas contra a divisão e que infelizmente atingiriam os tanques de combustíveis.

Precisamos completar uma revisão em condições difíceis e adversas, criando um exército de ferro invencível que nos ajudará a alcançar a vitória. Nós absolutamente devemos concluir essa reorganização dentro de três a cinco anos. ”

Huawei autossuficiente em até cinco anos

Huawei logo

Na metáfora das duas balas, muitos acham que se refere diretamente ao Google com o sistema Android, que é o combustível dos seus telefones na questão de software, já a segunda bala é interpretada como a ARM que pode afetar os processadores, o que é o combustível dos telefones na questão do hardware.

Então a intenção é corrigir esses problemas e criar seus próprios combustíveis, assim a empresa poderá andar com as próprias pernas, sem precisar ter medo de problemas com outros países ou empresas rivais ou parceiras.

Primeiro passo já foi dado

HarmonyOS Huawei

HarmonyOS, sistema da Huawei que é compatível com variados dispositivos, o que inclui smartphones, é o combustível principal para os smartphones.

O novo sistema chega com compatibilidade total com os aplicativos do sistema Android, então ele está pronto para ser um grande concorrente do Google, isso caso a proibição do comércio ainda seja estendida por mais tempo.

Futuro da Huawei

No momento o maior problema para a Huawei é não ter um processador com suas próprias tecnologias, o Kirin utiliza patentes da ARM, então corre perigo de não ter novas versões no futuro.

Mas claramente a fabricante já deve estar trabalhando para resolver o problema do processador, para conseguir ter suas próprias tecnologias e todo o hardware necessário para criar e lançar um smartphone de forma autônoma.

Huawei Logo

Hoje, dia 19 de agosto, é o dia que iremos conferir realmente o que irá acontecer com a Huawei e sua proibição de comercio nos EUA, já que essa é a data limite imposta pelo país, então temos que ver como a Huawei será afetada.

Muitos especialistas falam a Huawei mesmo com a proibição ainda terá uma permissão especial para fazer negócios com algumas empresas, então no sistema Android tudo indica que não terá problemas, mas é algo que ainda precisa ser confirmado de forma oficial.

PUBLICIDADE
Confira mais em
Marcos Gonçalves da Silva
Escritor e dono do ajudandroid.com.br, com a mente focada em trazer notícias, jogos, aplicativos e informações diferentes do mundo Android.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia Mais