Fabricantes são obrigadas a liberarem patch de segurança por dois anos

Android cadeado

Google está mais rígido, agora exige que fabricantes liberem patch de segurança para seus aparelhos por dois anos, isso no mínimo.

Anteriormente já tínhamos falado que com o Android 9 Pie as fabricantes eram obrigadas a trazer patch de segurança para os seus aparelhos, mas agora uma nova cláusula no contrato do Android exige que esse tipo de atualização seja frequente.

O site The Verge descobriu que os novos licenciamentos entre as fabricantes de dispositivos Android e o Google agora incluem novas cláusulas.

A mais importante é a obrigatoriedade das fabricantes liberarem patches de segurança para seus aparelhos por dois anos, isso se o aparelho seguir algumas regras, confira os detalhes:

Atualizações de patch de segurança obrigatória no Android

Android Certificado Google Play Protect

  1. As fabricantes devem atualizar seus aparelhos regularmente com patch de segurança por pelo menos dois anos depois do seu lançamento.
  2. Já no primeiro ano as fabricantes são obrigadas a atualizar os aparelhos com no mínimo 4 patch de segurança.
  3. No segundo ano não existe um número obrigatório de patch de segurança que precisam ser liberados.
  4. Todos os problemas de segurança encontrados precisam ser corrigidos em 90 dias após serem descobertos, ou seja, as fabricantes estão obrigadas a atualizar seus aparelhos com pelo menos um patch de segurança a cada três meses.
  5. As 4 condições acima só são válidas se o dispositivo Android foi lançado após 31 de janeiro e desde que tenham pelo menos 100.000 usuários.
  6. A regra começou a valer a partir de julho de 2018, então agora cada fabricante precisa ter pelo menos 75% do total de aparelhos com as versões mais recentes dos patch de segurança, isso se cumprirem as condições número 5.
  7. Já em 31 de janeiro de 2019 todos os dispositivos que cumprirem a condição número 5 também terão que seguir as outras regras, principalmente a número 2.

Android maquina

Claro que para evitar que as fabricantes saiam da linha e não tragam os patches de segurança que agora se tornaram obrigatórios, o Google utilizará todas as suas armas.

Quem não seguir a nova regra simplesmente não terá acesso aos serviços Google, o que deixará os aparelhos sem a loja Google Play e outros apps, mas o Google também revela que não irá aprovar dispositivo da fabricante até que ela siga novamente as novas cláusulas.

Lembrando que o Google criou testes automáticos para os patches de segurança mensais, então as fabricantes possuem uma ótima ferramenta para acelerar a chegada desse tipo de atualização em muitos aparelhos.

Essas cláusulas são importantes para o Android em geral, mas ainda mais para os usuários que compram aparelhos mais simples e que muitas vezes não recebem nenhum tipo de atualização e sempre ficam correndo riscos com problemas mais atuais de segurança, mas finalmente isso terá um fim.

Agora o próximo passo do Google é ser mais rígido e força as fabricantes atualizarem seus aparelhos para novas versões do Android, o que seria mais do que ideal para todos os tipos e consumidores.

Via: Theverge

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + 4 =

Send this to a friend