Escreva para pesquisar

Notícias

Dados mostram que em setembro, Android mais utilizado é o 6.0 e Nougat é o terceiro

Android 6.0 é o mais utilizado em setembro de 20017 e Nougat é o terceiro que equipa os smartphones do mundo.

Com todas essas versões do sistema, sempre é legal saber quais delas que estão em evidência, já que nem sempre a versão mais recente é a que os usuários possuem.

Agora o Google revela dados que mostram o Android 6.0 como mais utilizado e em terceiro o Nougat, o que mostra que as atualizações ainda estão sendo um grande problema para o sistema como um todo.

Com um novo sistema anunciado dias atrás, estranhamente temos o Android 6.0 Marshmallow lançado em 2015 como a versão que mais equipa aparelhos no momento, ela está em 32%.

Logo depois em segundo lugar temos o Android 5 Lollipop, que tem 28.8%, essa versão chegou em 2104, mas ainda tem muita gente utilizado o sistema.

Android Relatório Setembro 2017

Em terceiro lugar temos o Nougat, que finalmente está sendo “adotado” por boa parte das fabricantes, sua cota é de 15,8%, um valor que é baixo, ainda mais para o sistema que chegou no ano passado.

No quarto lugar ainda temos o Android KitKat que chegou em 2013, ou seja, há quatro anos, mas ainda tem 15.1%, valor bem parecido com o Android 7.0 Nougat.

Como podemos ver, esses dados só revelam que o Google precisa melhorar o sistema de atualização para que mais aparelhos tenham a versão mais nova do sistema e que o Android mais recente sejam liberadas de forma rápida para os dispositivos no mercado.

O Android 8.0 Oreo é a versão mais recente, foi lançada dias atrás e não aparece na lista por esse motivo, para esse novo sistema, o Google trouxe melhorias para as atualizações, agora as fabricantes podem lançar uma nova atualização com muita rapidez e sem muito trabalho, mas infelizmente os aparelhos precisam primeiro receber essa nova versão do sistema para ter acesso a esse novo recurso.

No momento, mais uma vez, a nova versão do Android vem com uma nova forma de atualizar, mas somente daqui a um ano iremos descobrir se esse recurso irá fazer diferença ou será mais uma tentativa fracassada do Google.

Tags:

Você pode gostar de

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Send this to a friend